quarta-feira, 2 de novembro de 2011

CTG Amaranto Pereira - 18 anos de tradição parte 1 (até 2005)


Alfredo - o 1º patrão, com o 1º troféu
Crédito: Alfredo de Melo Susel
A comunidade do Parque Residencial Algarve, em Alvorada, teve a oportunidade de ver o nascimento do seu CTG em 1993. Durante o mês de outubro, Alfredo de Mello de Susell, Flávio Piassini e Volmar Berner, lideraram um movimento no bairro, com um abaixo assinado, onde foram conseguidas 516 assinaturas, com vistas a criação e fundação de um CTG. A primeira reunião aconteceu no dia 4 de novembro de 1993, às 20h30min, na Rua 24 (atual Rua Hermínio Rodrigues Machado), 389. Nesta mesma reunião foi aprovado o estatuto e a formação da primeira patronagem, assim constituída:
Patrão – Alfredo de Mello Susell
Patroa – Flora Susell
1º Capataz – Fernando Ramalho Forni
2º Capataz – Osmar de Moraes Charão
Sota-Capataz – Heraclis José Almeida Barreto
Agregada das Guaiacas – Vera Ramalho Forni
Diretor de Patrimônio – Hermínio Rodrigues Machado

Patrono Djalma Neves e Patrão Alfredo
Crédito: Alfredo de Melo Susel
Em seguida aconteceu a posse dos eleitos, que imediatamente assumiram os seus cargos. Em 3 de dezembro do mesmo ano, no mesmo lugar, aconteceu a segunda reunião. A terceira aconteceu no rancho do Diretor de Patrimônio, Hermínio Rodrigues Machado, na Av. B (atual Av. Zero Hora).

A primeira invernada do CTG em sua primeira apresentação
Crédito: Alfredo de Melo Susel
A quarta reunião aconteceu no galpão crioulo localizado nos fundos do rancho do 2º capataz Osmar de Moraes Charão, que a partir de então se tornou sede provisória, até meados de 1997, situado na Rua 16 (atual Rua Maria Odete de Oliveira Charão), nº 144. Nesta reunião foi escolhido o lema do CTG: "A paixão de um gaúcho pelo seu chão é o que salva a Tradição", de autoria do sócio fundador Julio Bordignon. Também neste dia foi escolhido o brasão do CTG, de autoria de Maurício de Ávila Fraga. No dia 7 de maio de 1994, foi realizado o primeiro jantar-baile, no galpão do CTG Chilena de Prata, que foi cedido sem ônus. A animação foi com o Grupo Pampa Livre, que atualmente se denomina Leandro Berleze e Grupo Beira d’Estrada. Os primeiros coordenadores de invernadas do CTG foram o sócio fundador José Carlos Dorneles e a esposa Gladis Terezinha Rodrigues Dorneles. O primeiro ensaio e inscrições para as categorias mirim e juvenil aconteceu na garagem de Nilo "Gaudério", na Rua 25 (atual Rua Pedro Cláudio Monassa), nº 510, no dia 13 de setembro de 1995.

As primeiras prendas de faixa do CTG, tendo ao centro
Cidele Barcelos - prenda juvenil do CTG Chilena de
Prata (madrinha). Crédito: Alfredo de M. Susel
Neste mesmo dia as inscrições chegaram nos seguintes números: 19 na categoria juvenil e 40 na categoria mirim. Neste mesmo dia foi feito o primeiro ensaio com estas crianças, pelos posteiros Everton Luiz de Almeida, Cícero Augusto Sales da Rocha e Cidele Rodrigues Dorneles (com apenas 14 anos de idade). A primeira apresentação das invernadas para o público tradicionalista aconteceu no "saibro", na atual área do CTG, num almoço "a céu aberto" e a primeira festa planejada pelas invernadas aconteceu no dia 10 de dezembro de 1995, no antigo salão da Capela Santa Hedviges (atual paróquia), onde se apresentaram em público pela segunda vez.

O CTG no Programa Gritos do Quero
Quero da Rádio Acácia FM, com José
Dorneles e Valdemar Engroff na
locução
Em 1994, no primeiro ano de fundação do CTG, foi conquistado o primeiro troféu, no Campeonato Municipal de Bocha, onde foi conquistado o Troféu Participação. Em 1995 foram nomeadas as primeiras prendas, para o mandato 1995/1996, tendo como madrinha Cidele Rodrigues Dorneles, Prenda Juvenil do CTG Chilena de Prata.
1ª Prenda – Adriana Fraga
2ª Prenda – Caroline da Silva

O porquê no nome

CTG em 1997, com os primeiros paus fincados no chão
O nome "Amaranto Pereira" é uma homenagem que os tradicionalistas locais prestaram àquele que foi um dos mais autênticos gaúchos que o Rio Grande conheceu. Cria de Encruzilhada do Sul (5ª RT do MTG/RS), muito abrilhantou bailes de surpresa, em sua cidade, na grande Porto Alegre e na própria capital. Apresentou-se em diversos programas radiofônicos, em especial no "Grande Rodeio Coringa", da Rádio Farroupilha, apresentado pelos saudosos Darcy Fagundes e Luiz Menezes.

Acervo Cultural
No dia 24 de outubro de 1999, foi inaugurado o Acervo Cultural, que é composto de museu e biblioteca, com o nome de Jayme Caetano Braun, que é um dos imortais pajadores do Rio Grande do Sul. Representando a família Braun, esteve presente a Senhora Eunice Pinto, também representante da Capela Santa Hedviges. 

'Vó Odete é homenageada
Vó Odete e o Patrão Osmar Charão
O dia 9 de julho de 2005, foi de pura emoção no galpão do Com um trabalho de resgate histórico e incansável da 2ª chinoca do CTG, Helena Melo, foi inaugurada a de Fotos das Prendas e Peões do CTG. Das 35 prendas e 10 peões que o CTG já teve em sua história, em grande número estiveram presentes. Prestigiaram o evento José Carlos Dorneles e esposa Gladis Terezinha (ex patrões do CTG); o Subcoordenador Élio Lemes, o patrão na época Osmar Charão, Valdemar Engroff e esposa Marilene Centenaro Engroff, representando a Coordenadoria da 1ª Região Tradicionalista. O cerimonial foi comandado por Sérgio Spier. Coube ao patrão Osmar e à 2ª chinoca Helena descerrar a placa que leva o nome de "Galeria Maria Odete O Charão".

Maria Odete de Oliveira Charão, a ‘Vó Odete", esposa do patrão Osmar de Olveira Charão, faleceu repentinamente no dia 1º de agosto de 2004, deixando a família, a sociedade tradicionalista de Alvorada e de toda a 1ª Região Tradicionalista consternados.

FATOS, FEITOS E HISTÓRIA
A conquista da "terra"

O CTG Amaranto Pereira foi comandado por de Melo Sussel, um gaúcho-catarinense de Caibi, sendo patrão na primeira e segunda patronagens (sócio fundador de ficha nº 1). Nestas duas gestões foi conquistada a área de terras junto ao poder público municipal, conforme diz o Decreto Lei nº 1584/96, onde foi prefeito na época o Sr. José Arno Apollo do Amaral. A expedição do decreto de comodato da área do CTG aconteceu no dia 8 de julho de 1996, pelo Sr. Luiz Carlos Telles Lopes, Secretário Municipal de Administração, sendo a área escolhida pelo então Vice-prefeito, Sr. Djalma Nogues Neves, que posteriormente foi escolhido como patrono da entidade. Os registros de toda a documentação do CTG, perante o poder público municipal e junto ao cartório foi feita pelo Sr. Paulo Ramos, que na época era Secretário Municipal da Habitação.

A terceira patronagem foi comandada por de Moraes Charão (sócio fundador ficha nº 3) e foi em sua gestão que o galpão foi construído e inaugurado, situado na Rua Celso Lemes da Silva (antiga Rua 42), nº 520, numa área de terras de 6.907 m², tendo 1.050 m² de área construída, que corresponde ao seu galpão de eventos. O início da construção aconteceu com a parceria entre o CTG e Dr. Alberto Strauss, médico comunitário com consultório no bairro, que construiria o galpão, com mesas, cadeiras, camarim, banheiros, cozinha, bolicho, berçário e mesanino, em troca de uma parte da área, onde está localizada a cancha de rodeios, para a construção de uma escola particular. Mas, quando a construção já tinha iniciado, com os primeiros paus fincados, o projeto não foi aprovado pelo poder público municipal. O CTG assumiu a dívida já adquirida pelo Dr. Alberto e terminou com garra e bravura a construção do galpão.

A Inauguração do Galpão e Filiação no MTG
Momento da inauguração em 1998, com a abertura da porteira
Conforme foi publicado no Jornal de Alvorada, ed. 200, do dia 12 de novembro de 1998, no espaço denominado "De Galpão em Galpão", pelo colunista Valdemar Engroff, transcrevemos: "Foi inaugurado oficialmente neste último sábado, dia 07/11, o CTG Amaranto Pereira, que foi fundado por um grupo de tradicionalistas do Jardim Algarve, em 04 de novembro de 1993. O evento começou com a projeção de parte da história do CTG em um telão. Às 22h foi inaugurado o CTG, onde, simbolicamente foi aberta a "porteira" com três cancelas, sendo aberta uma pela Prefeita Stela Farias, pelo patrão Osmar Charão e pelo poeta e escritor Antônio Bicca, que veio direto da cidade de Encruzilhada do Sul, terra natal do próprio Amaranto. Também prestigiaram a solenidade o Coordenador da 1ª Região Tradicionalista Valdir Secchi e sua esposa, o sub-coordenador da Zona Norte, Sr Augusto Lopes e esposa, o vice-prefeito Aquiles Sudré e esposa, a secretária da cultura municipal, Sra Claudete Costa, o vereador e colaborador Dr. Darcy Barth, Dr. Joaquim Moncks, autor da "lei da pilcha" e o ex-patrão Alfredo de Melo Susell e esposa Flora. A seguir foi projetado em telão o clipe que teve como argumento a música do autor e intérprete Helmo de Freitas, "Lago Verde Azul", com a participação das invernadas do CTG Amaranto Pereira, que foi produzido e realizado pela Keiko Home Vídeo, na cidade de Arambará. No final foi aplaudido de pé pelo público que lotou o galpão.

Momento da inauguração com o Coordenador Regional
Valdir Sechi e Helmo de Freitas - o Carijó
A seguir, o departamento cultural, de surpresa fez a entrega do certificado Lago Verde Azul aos participantes da invernada, emocionando todos os seus integrantes. Após, iniciando o baile, sob a animação do próprio Helmo de Freitas e Grupo Camperiada, que animaram a indiada até o amanhecer do domingo. Foi um evento de encher os olhos, onde cabe a expressão: evento bom enche o galpão".

Campeira do Amaranto, com Renato Soares ao centro, com a bandeira do CTG
No primeiro semestre de 1997, sob o comando de Renato Soares, foi criada a Campeira do Amaranto, um dos departamentos campeiros de CTG mais respeitados no município, em infraestrutura e organização. Foi nesta gestão que também aconteceu o processo de filiação junto ao MTG. No dia 8 de abril de 1998, o CTG fez o encaminhamento da documentação exigida para fins de filiação. No dia 12 de julho, o CTG foi visitado e vistoriado por Ordeli Antônio Gouveia, Conselheiro do MTG, sendo esta a última etapa a ser cumprida no processo e no dia 8 de agosto daquele mesmo ano, o CTG foi aceito pelo MTG como Entidade Tradicionalista filiada, sob o nº 1873.

A Cultura em Primeiro Lugar
A quarta patronagem foi iniciada sob o comando de ábio Ramirez, que renunciou ao cargo por motivos profissionais após alguns meses de mandato. Assumiu em seu lugar o primeiro capataz, Sr. José Carlos Dorneles, que investiu fortemente no Departamento Cultural. Foi em sua gestão que o CTG foi agraciado com a Comenda da Tradição da 1ª Região Tradicionalista no ano de 2000. O troféu é concedido a entidades tradicionalistas que se destacarem e naquele ano foram agraciados o CTG Raízes do Sul de Porto Alegre, na categoria invernada artística; CTG Amaranto Pereira de Alvorada e DTG Laço Gaúcho de Gravataí, no departamento cultural; no departamento campeiro se destacaram o CTG Roda de Chimarrão e CTG Laço da Querência, ambos de Porto Alegre e CTG Chaleira Preta de Gravataí; no departamento jovem se destacaram o CTG Estância Farroupilha de Porto Alegre e o DTG Querência da Coxilha de Gravataí; na patronagem o destaque foi para o CTG Aldeia dos Anjos de Gravataí, DTG Lenço Verde da Querência de Porto Alegre e CTG Mate Amargo de Cachoeirinha. Este troféu Comenda, conquistado pelo CTG Amaranto Pereira foi o primeiro conquistado por uma entidade tradicionalista de Alvorada.

Em abril de 2000, a patronagem e integrantes das invernadas retornaram a Arambaré, a convite das autoridades municipais daquele município, para participar da abertura (projeção do vídeo clip), do Festival Nativista "Canto da Costa Doce", onde recebeu das mãos do Dr. José Carlos Rassier, prefeito municipal, um certificado de participação e as homenagens do presidente da câmara de vereadores e do público e artistas nativistas presente no festival. Nesta gestão também aconteceu o primeiro Encontro de Poesias Crioulas do município, no dia 13 de outubro de 2000, organizado pelo declamador João Bittencourt, onde se reuniram os maiores declamadores da 1ª Região Tradicionalista, entre os quais Alvandir Oliveira, Moacir Ferreira, entre outros.

O primeiro troféu Comenda da Tradição conquistado pelo
CTG. Na fota Patrão José e esposa Teresinha e
Fábio Ramires e esposa
E no dia 3 de novembro de 2001, assumiu a patronagem o Sr. de Moraes Charão, que assumiu pela segunda vez, tendo muito trabalho pela frente em seu mandato. Em dezembro daquele ano chegou um novo posteiro das invernadas, o jovem Ademilson Schneider e neste mesmo mês nasceu a Invernada Adulta, que fez a sua primeira apresentação em março de 2002, no grande Rodeio Crioulo e Artístico Nacional, na cidade da Barra do Ribeiro, promovido pelo CTG Pealo da Tradição. Neste mandato, a Campeira do Amaranto foi agraciado com o troféu Comenda da Tradição em 2003.Também foi neste mandato que o CTG participou pela primeira vez do Enart (Encontro de Arte e Tradição), o maior evento artístico e cultural da América Latina, com o declamador e sócio fundador Augusto César Tavares, que participou da fase regional realizada no CTG Aldeia dos Anjos, em Gravataí e da fase Interegional realizada em Osório. Também foi nesta gestão, em 2003 que a Família - tema anual do MTG, foi representado na fase final do Enart, em Santa Cruz do Sul, pelas três gerações da Família Charão: patrão Osmar Charão e esposa Maria Odete de Oliveira Charão, o filho Osimar de Oliveira Charão, esposa Marlise Charão e suas filhas Taiane e Maitê.

Em dezembro de 2003, ocorreu nova eleição para patronagem e de Oliveira Charão novamente foi galgado a patrão desta Entidade Tradicionalista, onde, entre outros feitos, o CTG participou pela primeira vez do Concurso Regional de Prendas e Peões, com a prenda juvenil Suyan Medeiros Custódio.

No dia 30 de outubro de 2005, aconteceu mais um pleito na entidade, onde foi eleito patrão o Sr. Edicione Aquiles de Melo, que vai exercer o mandato até outubro de 2007. Entre os projetos desta patronagem destacamos: construção de um berçário e da cancha de bochas e na parte cultural, a criação do Departamento de Chula e a incrementação do Departamento de Esportes, com incentivo aos jogos tradicionalistas, tais como a tava, o truco e a escova.
Atualmente o CTG conta com quatro Invernadas Artísticas (mirim, juvenil, adulta e chirú). Também possui uma invernada Campeira, que é uma das melhores em termos de organização e estrutura, no município de Alvorada. A mesma participa das festas campeiras da cidade e região.

Quadros Tradicionalistas
O CTG Amaranto Pereira, com o seu surgimento, tornou-se uma das entidades tradicionalistas que formaram mais quadros tradicionalistas em nossa cidade, para o tradicionalismo regional. Em 2000, o associado Vladimir Kuze ocupou o cargo de Diretor Campeiro Regional. Naquele mesmo ano, Valdemar Engroff foi galgado ao cargo de Diretor de Divulgação da 1ª Região Tradicionalista, cargo que ocupa, com garra e esmero, até os dias atuais. Em 2003, Osimar de Oliveira Charão foi conselheiro da 1ª Região Tradicionalista. Em 2004 ocupou o cargo de Subcoordenador do Tradicionalismo da cidade e em 2005 é conselheiro da Fundação Cultural Gaúcha do MTG. Osmar de Moraes Charão, em 2004 era membro do Conselho Fiscal da 1ª Região Tradicionalista.

Ruas com nomes de tradicionalistas
Três Personalidades tradicionalistas integrantes do CTG Amaranto Pereira, todos sócios fundadores e batalhadores na construção da entidade, tornaram-se nomes de rua, ficando os seus nomes eternizados no bairro. De acordo com o Jornal A Semana do dia 19 de outubro de 2001, na coluna Tradição e Cultura, escrita pelo colunista Valdemar Engroff, transcrevemos:
A tradicional Rua 24, a principal via de acesso ao Jardim Algarve para quem vem de Alvorada, mudou de nome, bem como a Rua 42, onde fica o CTG Amaranto Pereira. A Rua 24 chama-se Rua Hermínio Rodrigues Machado e a Rua 42, Rua Celso Lemes da Silva. Os respectivos projetos de lei foram encaminhados pelo então vereador Valmor Perla, com o devido amparo da comunidade, via abaixo assinados, sendo que o projeto de mudança de nome da Rua 42 foi aprovado no início de 1999 e o da Rua 24, em 2000. Hermínio e Celso residem lá na Querência Eterna. Ambos foram sócios fundadores do CTG Amaranto Pereira. O descerramento das placas alusivas aconteceu no último sábado (13 de outubro), com a presença do vice-prefeito Edson Borba, da Secretária da Cultura e do Desporto Sônia Nascimento, outras lideranças políticas, líderes da comunidade algarvense e alvoradense, membros da família Machado e Lemes da Silva, bem como amigos de ambos. Às 20h, no galpão do CTG Amaranto Pereira foi rezada uma missa crioula pelo padre Gerson Schmitd de Porto Alegre, com grande participação da comunidade.

Em meados de setembro de 2005, sendo um projeto de lei do Vereador Serginho, com o aval da Família Charão, foi encaminhado, aprovado e sancionado a mudança de nome da Rua 16, que passará a se chamar Rua Maria Odete de Oliveira Charão. A solenidade deverá acontecer ainda no ano de 2005.

O "Negócio" foi fechado na portaria do Amaranto!
O CTG Amaranto Pereira promoveu na última sexta-feira, 27 de agosto, grande baile com o Grupo Matizes, incrementado pela apresentação do Xirú Missioneiro e seu grupo. Bueno! O CTG tem o seu regulamento exposto na portaria para informar o vivente que quer participar dos eventos e uma das proibições é de que não é permitido entrar de tênis. Lá pela uma hora da manha, dois casais que trabalham no Hospital Conceição vieram prestigiar o evento e um dos peões estava de tênis. Esclarecido que não poderia entrar, negociou-se que poderia entrar, mas não dançar, o que não foi aceito pelos dois casais. Quando já estavam indo embora, o peão do tênis "negociou" por um par de sapatos, com um gaudério que estava do lado de fora da portaria. Risada geral e a turma alegre do Hospital conceição participou deste grande evento no Amaranto Pereira até o seu final.
Este fato pitoresco foi parar nas páginas do Jornal de Alvorada, edição 242, de 03 de setembro de 1999, na coluna "De Galpão em Galpão, pelo colunista Valdemar Engroff fazendo parte do folclore desta entidade.
Alvorada, 19 de outubro de 2005
Osmar de Moraes Charão
Patrão

Fonte! Chasque de Valdemar Engroff e os retratos aqui postados, foram publicados nas páginas 562 a 572 do Livro RAÍZES DE ALVORADA - Memória, História e Pertencimento, cuja obra foi publicada em 2005, tendo na coordenação geral Vera Lúcia Maciel Barroso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário